Mairiporã - SP -
 
 
 
 
   
 
 
ASTROLOGIA ESOTÉRICA

A LENDA DE OFIÚCUS

 

Ofiúcus promete com sua competência a imortalidade contrariando as expectativas da era de Peixes.

Também chamado de: Esculápio / Asclépio / Ophiuchus / Serpentenário.

Esculápio filho de Coronis e Apolo, nasceu em Epidauro.
Ao nascer foi arrancado do ventre de sua mãe, por Apolo.
Coronis foi morta após o parto por Diana, irmã de Apolo.
Abandonado ao pé do monte Mirtião, uma cabra aleitou-o e um cão velou por ele. O pastor Aristene, ao qual os animais pertenciam, encontrou o menino. Surpreso com o clarão que o rodeava, compreendeu que ali havia um mistério e não ousou recolhê-lo.

Apolo confiou Esculápio ao centauro Quirão, que lhe ensinou medicina. O jovem tornou-se tão hábil nessa ciência que descobriu um meio de ressuscitar os mortos. Dentre aqueles cuja vida recuperou destacam-se Júpiter, Licurgo, Hipólito, Glauco. Júpiter, temendo que essas ressurreições alternassem a ordem do mundo, fulminou Esculápio, com raios forjados pelos Ciclopes.

Após sua morte, Esculápio transformou-se na constelação do Serpentenário. Costumam mencioná-lo como pai dos médicos Podalírio e Macáon. Os emblemas de Esculápio são duas serpentes enroladas em um bastão, pinhas coroas de louro, uma cabra ou um cão.

A mãe, Corônis: Filha de Flégias rei da Tessália. Amada por Apolo deu a luz a Esculápio. Temendo ser abandonada pelo deus, uniu-se ao mortal Ísquis, filho do rei Elato da Arcádia. Diana irmã de Apolo puniu-a matando-a a flechadas. Apolo desesperado rendeu-lhe homenagens fúnebres. Segundo outra versão Corônis foi morta pelo próprio amante divino.

O Pai, Apolo: Deus da Luz, uma das doze divindades principais do Olimpo. Filho de Júpiter e Latona. Diariamente Apolo transporta o carro do Sol para o alto do céu, para depois guarda-lo atrás das montanhas sendo assim responsável pelos dias e noites. Uma vez por ano viaja para o país dos Hiperbóreos, nesta ocasião ocorre o inverno. Como deus da luz protege os campos, os viajantes, os artistas e os médicos. Sua maior atribuição é desvendar os ditames do destino, possuindo vários templos espalhados pela Grécia onde as pitonisas respondiam perguntas sobre o futuro. Deus de grande beleza viveu varias aventuras mau sucedidas. Com a Ninfa Corônis o deus teve como filho Esculápio, mais tarde fulminado pelos ciclopes, por ordem de Júpiter. Furioso Apolo fulminou os emissários de seu pai. Como punição foi enviado à terra.


Informações Astronômicas

Ofiúcus constelação compreendida entre as ascensões retas de 15h58 min e entre as declinações de + 14, 3 e - 30,1 graus. Situada ao norte do equador celeste, entre Scorpios (Escorpião) e Sagittárius (Sagitário).
Ocupa uma área de 948 graus quadrados. Embora ela corte a eclíptica, onde se situam as situam as constelações zodiacais, o Serpentenário não figura entre os 12 signos zodiacais dos antigos.
O Sol atravessa esta constelação de 28 de novembro a 17 de dezembro. Esta é uma das inúmeras imprecisões da astrologia, pois os nascidos neste período deveriam lutar pela existência de um décimo terceiro signo! O vocábulo Ophiuchus vem do grego e designa o homem que segura a serpente, como aliás a constelação ficou conhecida pelos romanos. Esta constelação foi registrada a mais de 2 000 a. C. anos. Na mitologia grega Ophiuchus foi o notável médico Esculápio. O culto à serpente foi sempre considerado símbolo de prudência, bom senso, sabedoria e poder de descobrir ervas medicinais. A constelação foi também denominada na antiguidade de Aesculapius em homenagem ao deus da medicina. Júpiter recompensou as qualidades médicas de Ofiúco colocando-o entre Hércules e Sagitário



Estrelas:

Ofiúcus:
25º e 15' de Sagitário.
Natureza: Saturno e Vênus (Ptolomeu)

Ras Alhague: Alfa Ofiúcus, estrela de segunda grandeza, situada a 62 anos-luz; 21º e 27' de Sagitário; estrela que fica na cabeça de Ofiúco ou da Serpente.
Natureza: Saturno Vênus.

Kelb Alrai:

Beta Ofiúcus, estrela gigante de magnitude 2,94; situada a 121 anos-luz; 16º e 10' de Sagitário; coração do Serpentário.

Yed Prior: Delta Ofiúcus, estrela gigante de magnitude 3, 3, situada a 140 anos-luz; mãos do Serpentário.

Yed Posterior: Epsilon Ofiúcus, estrela gigante de magnitude 3,34, situada a 104 anos-luz; mãos do Serpentário.

Maria Luiza Giannini